Em visita de Haddad, atitude de Rui cria mal-estar e gera rumores de candidatura de Aline

A passagem do candidato a presidente do PT, Fernando Haddad, e de sua vice Manuela D’Ávila (PCdoB) por Jequié, neste sábado (15), terminou com um mal-estar entre o governador e candidato à reeleição Rui Costa (PT) e o prefeito da cidade, Sérgio da Gameleira (PSB).

Segundo relataram ao Bahia Notícias pessoas que acompanharam a caminhada ocorrida pelo município, o socialista se sentiu desprestigiado por Rui, que, durante discurso feito para os participantes do evento, não mencionou Gameleira em nenhum momento, apesar de ter citado até a primeira-dama do estado, Aline Peixoto, nascida na cidade.

De acordo com informações obtidas pela reportagem, inicialmente, o prefeito de Jequié havia sido informado que faria um discurso na caminhada, assim como Manuela, Rui e Haddad. No fim das contas, acabou não discursando e também não recebeu nenhum aceno por parte do candidato à reeleição.

O ato foi recebido por aliados e figuras do PSB como falta de “generosidade” de Rui, já que o prefeito cuidou pessoalmente de mobilizar a população de Jequié e região para o evento, além de ir até rádios da cidade para divulgar o ato. Por outro lado, o socialista também é aliado do governador e apoia sua candidatura à reeleição, sendo integrante também de um partido que compõe a base do petista.  

Algo que chamou atenção também foram as menções consideradas “veementes” que Rui fez à esposa no discurso. O fato intensificou rumores, principalmente por parte de figuras do PSB, de que Aline pode ser candidata à prefeitura de Jequié em 2020. Segundo um relato ouvido pelo BN, o governador apresentou a primeira-dama como uma espécie de “mãe” da cidade.

Na avaliação de um nome ouvido pela reportagem, a atitude de Rui com Gameleira se assemelhou ao que o ex-governador Antonio Carlos Magalhães fazia com inimigos políticos. “Rui repete a prática de ACM. Quando ele não se dava com o prefeito, não o citava nos eventos, não ajudava e ainda desdenhava. Ele tratou de forma descortês”, reclamou esta fonte.

RUSGAS PASSADAS

As tensões nas relações entre Rui e Gameleira não são novas. Episódios passados demonstram um estranhamento entre os dois.

O primeiro deles aconteceu quando o atual prefeito de Jequié decidiu ser candidato a vice-prefeito da ex-prefeita da cidade, Tânia Britto (PP). Ele contrariou a orientação de Rui, que, na época deputado federal, pediu que a aliança não fosse feita.

Outro episódio ocorreu no fim de 2014, quando Rui, candidato a governador da Bahia, pediu a Gameleira que não rompesse as relações com Tânia, na época já prefeita da cidade e desgastada por um mandato com alta rejeição popular e denúncias de irregularidades na gestão. Contrariando mais uma vez o petista, o então vice-prefeito desfez a aliança política.

Mais um fato para expor as tensões entre Rui e Gameleira ocorreu nas eleições municipais de 2016. Da base do governador, ele esperava receber o apoio do petista para a campanha à prefeitura de Jequié. No entanto, recebeu um golpe quando Aline Peixoto resolveu apoiar outro candidato, Tadeu Cafezeiro, fazendo com que Rui fizesse o mesmo. No entanto, Cafezeiro acabou ficando em terceiro lugar e Gameleira venceu o pleito. FONTE: Bahia Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *