Juíza manda prender advogada durante audiência

Uma advogada foi algemada por policiais militares e presa durante uma audiência no 3º JEC (Juizado Especial Cível) de Duque de Caxias. A prisão foi gravada por celular e, segundo a OAB/RJ (Ordem dos Advogados do Brasil), o caso é um “flagrante de desrespeito às garantias legais da advocacia”.

Segundo relatos da juíza envolvida na confusão, o tumulto começou quando a advogada solicitou adoção de medidas após a audiência ter sido finalizada.

Então, a magistrada pediu para que a advogada aguardasse do lado de fora da sala e ela negou, afirmando que iria permanecer sentada até a chegada de algum representante da OAB.

Pelas imagens, é possível ver o momento em que a juíza ameaça chamar a polícia, pois a advogada estaria “atrapalhando a audiência”.

Com a chegada de um policial militar, a advogada afirmou estar indignada com o não cumprimento da lei pela juíza e ressaltou que é de seu direito ler a contestação do processo e impugnar os pontos.

Em um quarto vídeo, a advogada apareceu algemada e sentada no chão da sala de audiências. Cercada por policiais militares, ela afirmou só querer exercer “o direito de trabalhar como mulher, como negra”.

Em nota, a Polícia Militar informou “os policiais acataram determinação da juíza”.

Para o presidente da Comissão de Prerrogativas da Ordem, Luciano Bandeira, que atuou no caso, “nada justifica o tratamento dado à colega, que denota somente a crescente criminalização da classe”. E ainda acrescentou que irá investigar se houve abuso de autoridade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *